Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Em nome do amor

É em nome do amor, e talvez por amor. É com nome próprio e de alma própria. É o lugar onde as palavras são mais do que elas. São simplesmente aquilo que quero que sejam, amor.

Em nome do amor

É em nome do amor, e talvez por amor. É com nome próprio e de alma própria. É o lugar onde as palavras são mais do que elas. São simplesmente aquilo que quero que sejam, amor.

Dá-me música e eu dou -te amor

As frequências radiofónicas tem tanto de novo como de entediante. Tanto de companhia como de solidão. Estava quase capaz de me redimir à sintonia das rádios, até me aperceber que durante algumas horas se repetiram inumeras vezes a mesma musicalidade. Que tédio! Eu gosto muito de rádio, mas não deste, que decide as modas, as tendências, e ainda que, de modo involuntário (ou não), monopoliza as partilhas nas redes sociais e lidera o top das preferências. Não que realmente a música seja genial, mas porque é o que todos conhecem. Por isso é que gosto daquele rádio, que entre um toca e foge, uma e outra discordância me soa sempre a novidade. Ainda que super alto e muito enervante, o rádio (aquele rádio) é especial. Que lamento o meu, saber que eles ouvem aquilo que se ouve. Mas que sempre houve muito mais. Dá-me música, eu dou -te amor.

IMG_20160521_022215.jpg